A Força da Mulher recebe representante da União Européia no Brasil
www.youtube.com/watch?v=sAfHuB88SF0

Cerca de 100 mulheres beneficiárias do Projeto A Força da Mulher (realização do CEARAH Periferia e Esplar com Financiamento da União Européia) participaram, nos dias 16 e 17 de abril do IV Encontro Territorial, em Quixadá, no Ceará. O evento contou com a participação de Denise Verdade, assessora do Programa de Cooperação da Delegação da União Européia no Brasil, do Prefeito de Quixadá, João da Sapataria, de Antônia Duarte de

Foto em http://raquelrolnik.wordpress.com
Remoções forçadas em tempos de novo ciclo econômico – Acompanhe o Blog da Raquel Rolnik

Disponível em raquelrolnik.wordpress.com, 04/09/2012 A política habitacional atual é concebida como elemento de dinamização econômica para enfrentar uma possível crise e gerar empregos, sem qualquer articulação com uma política de ordenamento territorial e fundiária que lhe dê suporte, especialmente no que se refere à disponibilização de terra urbanizada para produção de moradia popular. Por outro lado, grandes projetos em curso abrem frentes de expansão imobiliária e atração de investimentos, flexibilizando

Silvia Camurça
Conquistar o direito à previdência social para todas as mulheres

Artigo de Silvia Camurça (*) » Nesta semana, ocorre em Brasília (DF) mais um esforço de mobilização do movimento de mulheres brasileiro, reunindo mulheres do campo e da cidade. Durante dois dias, elas permanecerão acampadas na tentativa de dar visibilidade ao problema da desproteção social a que estão submetidas milhões de trabalhadoras brasileiras. Desproteção previdenciária traduz-se, no caso das mulheres, em ausência de direitos à auxílio doença, licença gestante remunerada,

José Borzacchiello da Silva
Fortaleza: cidade de risco

Artigo de José Borzacchiello da Silva (*) Fortaleza é uma cidade sem lei. Sua forma urbana comprova essa assertiva com ruas e avenidas implantadas sem obediência de plantas oficiais. Crescem edificações em locais impróprios, ou “proibidos”. Do ruído excessivo e destruição acelerada da natureza, nem se fala. É fácil constatar essas agressões na orla da cidade, no aterro de lagoas e várzeas e muitas construções irregulares. Tudo isso faz de

Próxima Página »